PIBID Física(2011-2013)

Área: Física

Subprojeto da Licenciatura em Física
Coordenador de Área do Subprojeto:
Maria Inês Ribas Rodrigues                                                     
Supervisor:
Professora Alinic Vieira de Barros
Bolsistas:

  • Antônio Romualdo de Lorena Neto
  • Carolina Sartori
  • Felipe Garcia Ken Kamiya
  • Lucion Amir Abdallah de Araújo
  • Pedro Henrique Silva Rodrigues
  • Thatyusce Bonfim Gomes
Plano de trabalhoCom a mudança no enfoque das pesquisas em ensino para o seu processo e não mais para o seu produto, muito se tem avançado no que diz respeito à formação dos professores nas últimas três décadas. As preocupações iniciais apontavam, dentre outras, para a insuficiência no curso de Licenciatura e na formação continuada dos professores.  Neste contexto, uma das propostas seria possibilitar aos envolvidos uma formação que lhes permitisse o abandono da racionalidade técnica (SHÖN, 1983), na medida em que passassem a refletir sobre os referenciais teóricos e metodológicos envolvidos nos projetos implementados na escola. Estes resultados permitiram, então, que propostas fossem desenvolvidas e implementadas de forma a produzir, com seus resultados, novas possibilidades na formação inicial e continuada de professores.Sob um enfoque mais amplo, o trabalho colaborativo (BRISCOE & PETERS, 1997; RODRIGUES, ;2010) possibilita que todos os envolvidos passem pelo processo de formação, onde um dos principais elementos é a troca de experiências.  Mizukami et al.(2002) apontam que a construção contínua de saberes pode acontecer de forma colaborativa a partir dos diferentes níveis de desenvolvimento profissional dos participantes de um grupo. Sob este enfoque os desafios são vencidos coletivamente, num processo de apoio mútuo, que entre outros resultados apontam para a reconstrução da maneira de agir e de pensar dos profissionais do ensino participantes do processo

Um aspecto prático, da discussão acima, pode observado no trabalho de Rodrigues e Carvalho (2002), que apresenta uma proposta de trabalho de integração entre a Universidade e a Escola como uma possibilidade de formação continuada a partir da reflexão sobre a prática, envolvendo uma equipe de professores-pesquisadores no âmbito do ensino de física. Como resultado, ficou evidente a relevância do trabalho colaborativo como norteador do desenvolvimento profissional dos envolvidos assim como da melhoria no ensino da Termodinâmica em suas salas de aula.

As autoras também ressaltam nos resultados que o trabalho em equipes de professores, que se unem por livre vontade, tem grandes chances de alcançar seus objetivos, já que esta integração promove a superação dos obstáculos que, normalmente, surgem no contexto da implementação de inovações na escola.

Um outro aspecto importante é a formação continuada do formador do professor, pois este ao atuar no contexto colaborativo também torna possível seu próprio desenvolvimento profissional (RODRIGUES & ABIB, 2010), o que aponta para uma via de mão dupla entre a Universidade, como centro formador, e a Escola, como formadora de cidadãos.

O apoio aos professores principalmente pelos diretores e coordenadores da escola, assim como pelos órgãos governamentais tem sido apontado como um outro fator relevante para que as propostas atinjam seus objetivos (FULLAN, 1982).

Evidentemente, o trabalho colaborativo também possibilita a formação inicial do professor, que participa deste mesmo processo. Um resultado interessante é apresentado no trabalho de Duarte et al.(2009), quando um projeto elaborado a partir do trabalho de integração entre uma Universidade e uma Escola pública em Taguatinga, DF, permitiu que os próprios licenciandos do Curso de Física refletissem e pesquisassem sobre a própria prática num contexto de implementação da proposta inovadora no ensino de física. Este trabalho fora orientado pela proponente do atual projeto, docente daquela instituição universitária.

Mediante estes pressupostos, na UFABC já estamos desenvolvendo O Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), que no caso do ensino de física tem realizado ações que estão permitindo a implementação de inovações no âmbito da experimentação, integrando professores e licenciandos nesta proposta. Neste projeto, enfatiza-se o desenvolvimento de competências e habilidades (BRASIL, 1999) nos alunos do ensino médio, por meio de suas participações no desenvolvimento do projeto.

Nesta nova etapa do PIBID, o trabalho colaborativo possibilitará uma reflexão crítica sobre as ações em todos os níveis a partir de reuniões na UFABC assim como nas Escolas participantes. A proposta envolverá a participação dos alunos bolsistas no processo investigativo nas escolas e elaboração de um plano de aulas em conjunto com os professores- supervisores de modo a implementar, em sala de aula, atividades inovadoras sob a perspectiva dos Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN (BRASIL, 1999), assim como integrados aos conteúdos pertinentes aos Cadernos do Governo do Estado de São Paulo, tendo todo o processo e sua respectiva avaliação realizado pela professora orientadora. Os participantes serão incentivados à reflexão sobre a prática, na medida em que deverão elaborar suas reflexões por escrito e discutir alguns dos aspectos nas reuniões. As discussões orais, durante as reuniões, poderão ainda nortear a re-elaboração das atividades propostas de acordo com cada contexto vivenciado em sala de aula. O desenvolvimento de saberes teóricos acontecerá a partir de leituras de textos e pesquisas na área de ensino de física.

Esta proposta também poderá ser implementada no contexto do Ensino Fundamental II (EF II), que permitirá aos alunos bolsistas elaborarem a mesma proposta envolvendo agora os aspectos qualitativos da física, por meio de atividades investigativas. Esta proposta tem por objetivo apresentar a Física integrada ao cotidiano do aluno, evidenciando a sua familiarização. Professores supervisores participarão da mesma forma que na proposta anteriormente discutida para o EM.

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: